“Nesta pequena grande obra, encontramos chaves de entrada privilegiadas para o complexo universo musical das chamadas “religiões ayahuasqueiras” calcadas em trabalho de pesquisa denso e em respeito aos modos como os ‘músicos’ aqui representados entendem suas práticas musicais. Além de nos brindarem com mais um capítulo imprescindível da grande música brasileira, nos ajudam a entender em termos mais amplos a relação entre música e religião, o modo como através da poesia, do ritmo e da melodia nos tornamos seres espirituais, nos comunicamos com realidades outras que não a imediata”.

Edmundo Pereira
Professor do Departamento Antropologia UFRN e pesquisador do da Laboratório de Pesquisas em Etnicidade, Desenvolvimento e Cultura do Museu Nacional.

“’Música brasileira de ayahuasca’ provides a concise summary of the use of music in the Santo Daime and UDV religions. Embracing the phenomenology of musical practice in broad terms, resuming its history and treating long-awaited questions like “how are the ‘hinos e chamadas’ created?” or “who is actually singing during a ritual performance?”, the authors touch upon crucial points regarding the power and efficiency of musical performance in religious frameworks, thus pointing towards fruitful future research in that area”.

Bernd Brabec de Mori
Ethnomusicologist, Austrian Academy of Sciences (Vienna)
.
Etnomusicólogo, Academia Austríaca de Ciências (Viena).

“Costumo dizer que o acervo musical da cultura ayahuasqueira é de uma riqueza espantosa, seja na dimensão estritamente musical, seja na poética. Este pequeno livreto vem abrir caminho para compreensão de um fenômeno da cultura musical brasileira que já se expande para todo o mundo. Esta obra pioneira deve se tornar referência tanto para conhecedores do assunto como para quem deseja nele penetrar.”

Marcelo Bernardes
Músico, Arranjador, Professor de Música Brasileira e presidente da Tenda Espírita Flor da Montanha, centro do Santo Daime em Lumiar (RJ).

“A voz humana é por si mesma mistério. Desde as origens, a palavra cantada, pelo seu poder encantatório, pela sua força expansiva, restauradora e renovadora, tem lugar central nas celebrações e na vida espiritual dos povos. É assim que aprecio este livro inaugural sobre a música brasileira de ayahuasca: um estudo surpreendente, simples, honesto e abrangente a respeito de algo bem mais importante do que nós às vezes imaginamos.”

Francisco Assis de Sousa Lima, psiquiatra, poeta e pesquisador em cultura popular, membro do Corpo do Conselho do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal (UDV) do Núcleo Samaúma, em Araçariguama (SP).