Seleção retirado da página incial da Mostra: http://www2.uol.com.br/mostra/30/p_jornal_452.shtml

MEZCAL – Personagens diferentes unidos pelo desamor, a dor e o sofrimento se encontram pelo denominador comum que os une, simbolizado pelo mezcal, um destilado popular tipicamente mexicano como a tequila. O mezcal é bebido para aliviar a dor da alma e está sempre presente nas histórias que se cruzam: na mãe que vela a morte de seu filho, na senhora que deseja encontrar a morte e aliviar sua velhice e solidão, no bêbado de casamento fracassado, na sua ex-esposa que rememora a infância e a saudade do pai, no homem que teve de matar o primo na juventude e é atormentado pela culpa, no homem que tem de cavar o túmulo de outros homens e defende a idéia de que os urubus e não os vermes deveriam decompor os mortos, e nos foliões que brindam a mesmice e o tédio de suas vidas com risadas entorpecidas. (Prêmio especial do Juri, ator (Don Angel Tavira) e direção no Festival de Gramado de 2006)
Horários e mais informações: http://www2.uol.com.br/mostra/30/p_exib_filme_30.shtml

EL MAGICO – A vida do excêntrico Carlos Lehder Rivas, chamado o Henry Ford da cocaína. No final de 1978, Lehder, um homem de 30 anos, dono de uma empresa e de uma ilha nas Bahamas, retorna à cidade natal, Armenia, na Colômbia, repleto de idéias e de dinheiro. Muitas pessoas se ligam a ele, sem se importarem com o que todos sabem: que Lehder obtém seu dinheiro com o tráfico de drogas. Apesar da aceitação geral, um segundo setor da sociedade não vê com bons olhos sua presença, pois os jovens atraídos pelo luxo que o rodeia também passam a fazer negócios ilegais. E há um terceiro setor da sociedade ainda mais desgostoso, o político, que vê em Lehder um rico rival com o qual não pode competir. Lehder deixou Armenia aos 15 anos de idade e foi para os Estados Unidos, onde se dedicou ao roubo de carros e ao tráfico de drogas, acumulando uma pequena fortuna. Passou por isso dois anos preso. No início dos anos 1980, ele supervisionava o envio de cocaína aos Estados Unidos, em sua maior parte proveniente do chamado cartel de Medelín, levando o tráfico de cocaína a níveis jamais vistos e dessa forma despertando a atenção das autoridades norte-americanas. Ele foi por isso se esconder em Armênia. Como outros traficantes de sua geração, ele tenta ingressar na política para legitimar sua fortuna e impedir o tratado de extradição com os Estados Unidos. Mas a situação se agrava, e Lehder mergulha na clandestinidade. Preso em 1987, foi extraditado e condenado à prisão perpétua.
Horários e mais informações: http://www2.uol.com.br/mostra/30/p_exib_filme_156.shtml

A SCANNER DARKLY – Baseado em obra de Philip K. Dick, o filme se passa num futuro em que os EUA perderam a guerra contra as drogas. Neste cenário, o policial Fred (Keanu Reeves) é um dos muitos agentes que cederam ao vício de uma popular substância química, que divide a personalidade dos usuários em duas. A situação se complica quando o alter-ego de Fred, o traficante conhecido como Bob, passa a ser caçado pelo segmento da polícia comandado pelo próprio Fred. A produção foi rodada com a mesma técnica utilizada em Waking Life (2001, seleção da 25ª Mostra), obra igualmente dirigida por Richard Linklater e vencedora do prêmio Lanterna Mágica no Festival de Veneza 2001, na qual os atores filmam normalmente suas cenas, e as imagens são posteriormente tratadas em animação.
Horários e mais informações: http://www2.uol.com.br/mostra/30/p_exib_filme_127.shtml

Comments are closed.