Ministro Juca Ferreira defende dimensão cultural para políticas de drogas

Publicado aqui: http://www.cultura.gov.br/site/2010/03/23/a-cultura-e-as-drogas/ 

“É necessária uma abordagem mais voltada ao comportamento. É preciso ampliar a dimensão cultural para adequar políticas públicas sobre as drogas à contemporaneidade”, defendeu o ministro Juca Ferreira, durante o lançamento do livro Drogas e Cultura: novas perspectivas.

Realizado na tarde desta terça-feira, 23 de março, no Centro Cultural São Paulo, na capital paulista, o evento também contou com a presença do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, que junto com o ministro da Cultura e demais convidados, fez parte da mesa de abertura.

O ministro Juca Ferreira iniciou suas considerações parabenizando o ex-presidente Fernando Henrique por sua coragem no enfrentamento de um problema tão importante.

“O tema é relevante e muito complexo, e fugir do debate e da polêmica sobre esta questão não é política do Ministério”, afirmou. Para ele, as drogas não são somente tema de polícia, e um novo ponto de vista tem surgido no Brasil, a partir do crescimento do debate sobre o assunto na sociedade.

“A limitação do uso social do cigarro e do uso do tabaco também interessa neste processo. Parte das drogas legais e ilegais tem efeitos avassaladores. A dependência é culturalmente adquirida e a militarização do problema está perdendo a batalha no Ocidente. A descriminalização não elimina de todo a questão.”

Leia o pronunciamento na íntegra.

Na avaliação de Edward MacRae, um dos organizadores da obra, o ministro da Cultura e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso têm trabalhado para romper o tabu do silêncio, sendo agora a publicação lançada um instrumento de contribuição. “A ideia do livro era explorar o aspecto biopsicossocial, com riqueza de abordagens diferentes, de diferentes materiais.”

O coronel da reserva Jorge da Silva, do Movimento Fórum Rio e da Comissão Brasileira sobre Drogas, que também participou da mesa, afirmou que aprendeu na Polícia Militar a encarar as drogas como tema policial/penal, mas, quando se viu “enxugando gelo”, aprofundou-se no assunto e hoje só vê solução envolvendo educação, família e sociedade.

Finalizando a primeira parte do evento, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso elogiou o ministro Juca Ferreira pela “exposição correta e corajosa” sobre o tema e afirmou que é preciso criar uma base social de consenso. “O tema invadiu a cultura contemporânea”, reconheceu.

Fernando Henrique relatou experiência da destruição de uma plantação de maconha em Pernambuco, no seu governo, que de nada valeu. “O problema é mais amplo e complexo, e a repressão não resolve.” Ele defende a mudança do paradigma da repressão para o da redução de danos.

Na sequência, houve espaço para perguntas do público. A segunda mesa foi formada por Maurício Fiore, moderador, Sandra Goulart, Henrique Carneiro, Edward MacRae, co-autores do livro, além de Maurides Ribeiro, diretor do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, e Ge Marques, pesquisador do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos.

Publicação na Internet

O livro, que reúne 17 artigos, foi organizado por Beatriz Caiuby Labate, Sandra Lucia Goulart, Mauricio Fiore, Edward MacRae e Henrique Carneiro.

A coletânea traça um panorama de esforços recentes de pesquisa e reflexão sobre o tema com o olhar das ciências humanas.

Trata-se da primeira contribuição sistematizada do Ministério da Cultura para a resposta brasileira ao problema das drogas e sobre os diversos usos de substâncias psicoativas.

A publicação Drogas e Cultura: novas perspectivas já está disponível para download (acesse aqui).

Visita – Em companhia do diretor Martin Grossmann e do secretário municipal de São Paulo, Carlos Alberto Calil, o ministro Juca Ferreira conheceu as dependências do Centro Cultural São Paulo. Segundo Calil, foi a primeira vez que um ministro da Cultura esteve no local, considerado um dos espaços culturais mais frequentados da cidade.

Comments are closed.