Matérias do Jornal Amazonas EM TEMPO de 30/01/2009

Ayahuasca contra a dependência química

Psiquiatra pretende instalar comunidade terapêutica no Estado do Amazonas para utilizar chá tradicional contra abuso de drogas lícitas e ilícitas. O psiquiatra paulista Wilson Gonzaga trabalha atualmente junto ao Conselho Nacional Antidrogas (Conad) no planejamento de ações estratégicas de combate à dependência química. A mais recente atividade proposta pelo médico é a construção, no Amazonas, de um centro para tratamento de pessoas que abusam de psicotrópicos lícitos e ilícitos. O centro, a ser construído no  lago do Jaraqui, ao lado do arquipélago de Anavilhanas, Baixo Rio Negro, serviria como base para que o psiquiatra ministrasse o mariri e a chacrona (plantas com as quais se faz o chá da ayahuasca) no controle médico de drogaditos.
Gonzaga explica que o centro funcionaria de forma legalizada e registrada, como uma comunidade terapêutica onde aulas de educação ambiental e conscientização para a sustentabilidade seriam efetivadas. “Trabalhei na legalização da ayauhasca no Brasil, cujo reconhecimento se deu pouco mais de três anos. Agora planejo constituir uma ‘clínica da floresta’, onde a medicina histórica dos povos amazônicos seja ministrada com responsabilidade”, comentou.

“Haverá dietas alimentares, com exercícios e banhos naturais. Será o mais essencial tratamento da natureza apresentado à população que procura alternativas em face a medicamentos sintéticos”, afirmou o psiquiatra.
De acordo com Marcos Figueira, jornalista que atua em Manaus como conselheiro da União do Vegetal (UDV), o trabalho desenvolvido por Gonzaga ao longo dos últimos dez anos, em São Paulo, o credencia para trazer a experiência ao Amazonas. “Tenho conhecimento sobre as ações dele na capital paulista, onde o psiquiatra trabalha com pessoas em situação vulnerável, e tenho certeza que seria muito proveitosa sua experiência no Estado”, avaliou.

Segundo Gonzaga, não há uma data específica para a clínica começar a funcionar. Atendimentos prévios ou explicações detalhadas sobre a atividade estão sendo feitas no consultório do médico, na rua Visconde de Porto Alegre, 113, Praça 14. No local, denominado de Instituto Hermes de Transformação Humana, atendimentos regulares a pacientes podem ser agendados.

Pesquisa

O efeito terapêutico do chá da ayahuasca no organismo humano poderá ser pesquisado em campo, no Amazonas, por Wilson Gonzaga. A população escolhida, conforme o psiquiatra, é a do Alto Rio Negro.
Segundo o médico, testes científicos poderão ser realizados ainda este ano, a partir da efetivação de uma equipe multidisciplinar de estudo no local. “Vamos avaliar por métodos científicos os efeitos benéficos do chá em índios que estão em situação de alcoolismo. Temos um projeto base, mas ainda vamos melhorar a mensuração dos dados para a pesquisa no futuro”, enfatizou.

A proposta de levantamento no Alto Rio Negro foi apresentada ao pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Rogelio Casado, que também atua na área da medicina psiquiátrica.

Segundo Gonzaga, na próxima semana, Casado irá avaliar de forma mais criteriosa o projeto. “Falta financiamento, por exemplo, o que é um problema para ações de pesquisa. Porém, vamos apresentar a idéia a entidades de direito que se interessarem em financiar”, concluiu o psiquiatra, com a experiência de quem bebe há mais de 20 anos o vegetal.

Comments are closed.