Escrito por João Guedes Filho, especialmente para este site

Por iniciativa da Fundação Municipal de Cultura Garibaldi Brasil, a partir da implementação do Sistema Municipal de Cultura em 2008, os centros foram convidados a se reunir para discutir políticas públicas comuns aos adeptos da Ayahuasca, quando foi criada a Câmara Temática de Culturas Ayahuasqueiras, onde surgiu a idéia de apresentação de um projeto coletivo de formação, contemplando as comunidades participantes da Câmara.

Pensado e elaborado em conjunto com as comunidades, através do edital de 2009, apresentamos um projeto ao amparo da Lei Municipal de Incentivos Fiscais à Cultura, em nome do Centro Espírita Obras de Caridade Príncipe Espadarte, Barquinha da Madrinha Francisca, responsável legal junto à Fundação, cuja execução está a cargo de representante do próprio centro (Guedes), 02 representantes do Alto Santo-CICLU (Toinho Alves e Lilian Amim) e 02 da União do Vegetal (José Alencar e Odaíza).

Aprovado, e diplomado em 22 de maio de 2009, o Projeto visa promover a integração entre as diversas experiências de cada comunidade, fortalecer e valorizar a identidade cultural das comunidades de Rio Branco que integram os três troncos fundadores das doutrinas do Santo Daime, Barquinha e União do Vegetal, fundadas por Mestre Irineu, Mestre Daniel e Mestre Gabriel, respectivamente.

O projeto visa promover a capacitação técnica de seus membros, jovens e adultos, com a realização de uma oficina com foco na técnica de história oral, com objetivo de realizarem seus registros fônico, fotográfico e áudio visual, promover o resgate das memórias e histórias de seus membros mais antigos, além de sensibilizar as respectivas comunidades da necessidade da criação, organização e manutenção dos acervos documentais das casas de memórias.

A aula inaugural se deu no dia 05.09.2009 na sede do Centro de Iluminação Cristã Luz Universal-Alto Santo, dirigido pela Dignitária Peregrina Gomes Serra e contou com a participação de dirigentes de vários Centros, alunos, presidente da Fundação Municipal de Cultura Garibaldi Brasil, Marcos Vinícius e convidados.

Com uma carga horária de 64 horas em módulos semanais com atividades em sala de aula e experimentos práticos, aos sábados, tem como orientador o professor da Universidade Federal do Acre, Gerson Rodrigues de Albuquerque, doutor em história social pela PUC/SP, o curso conta com a participação efetiva de 40 alunos de 14 (quatorze) das 17 comunidades formais existentes em Rio Branco.

Importante ressaltar a importância e ineditismo do projeto que, pela primeira vez, reúne não só as comunidades tradicionais, as chamadas linhas raízes, como também todos os seguimentos ayahuasqueiros do município de Rio Branco em torno de um objetivo comum, estreitando e sedimentando o necessário intercâmbio cultural e religioso entre eles.

Comments are closed.