Título: Hedonismo Competente. Antropologia de urbanos afetos

Autora: Fernanda Eugênio

Orientador: Eduardo Viveiros de Castro

Resumo:

O campo de trabalho desta tese diagrama-se a partir dos permeáveis e imprecisos limites-tensão do circuito de lazer jovem que poderíamos chamar, tomando de empréstimo a nomenclatura ‘nativa’, de cena carioca. Espaço-tempo caracteristicamente urbano, marcado pelo desenraizamento cosmopolita como valor, a cena conecta lugares, eventos e pessoas não-contíguos, acontecendo contingentemente nas vizinhanças das musicalidades eletrônicas, das ‘substâncias’ sintéticas’, da experimentação erótico-afetiva com ‘ambos os sexos’ e de uma moda empenhada no borrar das fronteiras de gênero. Esta tese dedica-se, por um lado, a mapear a cena enquanto zona de intensidade, propondo-se a investigar antes territorialidades do que identidades, e, por outro, a descrever e analisar o funcionamento acionado pelos freqüentadores do circuito, ao qual chamei hedonismo competente. Argumento que o hedonismo competente, enquanto agenciamento, perfaz uma ‘tendência’ contemporânea, relevante e observável para além da própria cena carioca. Tendência a um remapear das ‘prescrições’, que por um lado se privatizam e, por outro, deixam de recair sobre conteúdos específicos para vir a se apresentar, antes, como um maquinismo. Este, orientado para a produção de simultaneidade e conciliação entre as ‘esferas da vida’, vem a substituir visivelmente um regime de alternâncias. Operando por síntese disjuntiva, o hedonismo competente se cumpre à medida da contaminação recíproca entre as ‘esferas da vida’, que deixam neste movimento de caracterizar domínios estanques, definidos por oposição excludente (espécies), para vir a diferenciar-se por gradação, local e contingentemente.

Dia: 05 de outubro

Horário: 14:00hs

Local: Auditório Roquete-Pinto, Museu Nacional/UFRJ – Quinta da Boa Vista s/n – São Cristóvão

Para entrar em contato com a autora: fe.eugenio@gmail.com

Comments are closed.