Título: Os Katukina e o Kampô: aspectos etnográficos da construção de um projeto de acesso a conhecimentos tradicionais

Autor: Homero Moro Martins

Banca: Alcida Rita Ramos (orientadora, UnB)
Paul Little (examinador, UnB)
Edilene Coffaci de Lima (examinadora, UFPR)

Data e hora: 29/05/06, segunda-feira, às 15h.

Local: Sala de Reuniões do Departamento de Antropologia (ICC, ala central), Universidade de Brasília

RESUMO

Os Katukina, grupo indígena de língua pano que habita o alto vale do rio Juruá, no estado do Acre, estão atualmente envolvidos no Projeto Kampô. Coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, o projeto visa o acesso a um conhecimento tradicional indígena associado a recursos genéticos: trata-se do uso da secreção do anuro Phyllomedusa bicolor, a que os Katukina chamam de kampô. Este trabalho visa analisar alguns aspectos do campo de relações e disputas interétnicas que sustentam a construção do Projeto Kampô. Com este objetivo, são abordados: o contexto político internacional que propicia aos povos indígenas a possibilidade de controlarem o acesso a seus saberes; os aspectos históricos e sociológicos dos Katukina e as tensões com outros grupos pano que compartilham o conhecimento sobre o kampô; os caminhos que levam a “vacina do sapo” a ser conhecida e utilizada além das fronteiras indígenas, propiciando o surgimento do projeto; e, finalmente, as estratégias políticas e culturais dos Katukina na atualização dos usos e propriedades usuais do kampô sob a linguagem dos “conhecimentos tradicionais”. Assim, o Projeto Kampô, quando observado sob o ponto de vista nativo, se apresenta como um evento que reafirma o potencial katukina de instrumentalizar vantajosamente sua cultura, a partir de seus referenciais cosmológicos e de seus interesses políticos, para, deste modo, socializar o exterior – elemento indispensável à constituição do universo social pano –, representado pelo branco.

Para entrar em contato com Homero: homerindio@yahoo.com.br

1 Comment

  1. JCSPAV says:

    Bom dia Bia,

    Tenho grande interesse em participar de uma cerimônia Ayahuasca/Daime e beber o chá, talvez você possa me
    ajudar.
    É possível adquirir o chá(Ayahuasca) aqui em São Paulo?