Skip navigation

Goias: Jovem morre após ritual religioso

http://www.ocorreionews.com.br/v3/exibe.php?id=63278&cod_editorial=1&url=exibe.php&pag=0&busca

Estudante da PUC havia tomado o chá ayahuasca, considerado alucinógeno, durante encontro de uma comunidade em Goiânia

 
   

 

 
 

Policiais civis de Senador Canedo vão investigar a morte súbita do estudante de Gestão Ambiental da Pontifícia Universidade Católica de Goiás Fernando Henrique Queiroz Tavares. Ele morreu na manhã de domingo, aos 19 anos, no momento em que participava de um ritual realizado com o “propósito de promover o crescimento espiritual, o encontro com Deus e a melhoria do ser humano.”

O encontro espiritual, chamado “Ritual de Encantamento dos Sonhos”, foi promovido pela Instituição de Xamanismo Céu de Krishina, em uma chácara em Senador Canedo. Durante o evento, além de assistir à palestra, ouvir músicas e permanecer próximos a uma fogueira, os participantes, incluindo o jovem, tomaram a bebida indígena conhecida como ayahuasca ou santo daime, preparada a partir da associação do cipó jagube com o arbusto shacronam.

Fernando Henrique era portador da síndrome de Marfan, doença congênita caracterizada por membros anormalmente longos, que afeta outras estruturas do corpo, incluindo o esqueleto, olhos, pulmões, o coração e os vasos sanguíneos. A família do jovem registrou a ocorrência da morte súbita no 14º Distrito Policial (DP), em Senador Canedo, mas a princípio não associa a morte repentina à bebida servida no ritual.

A mãe dele, a administradora de empresas Neila Mara Queiroz, de 44 anos, afirmou ontem ao POPULAR que havia sido notificada por médicos da possibilidade de o filho apresentar rompimento da aorta e ter morte súbita. Ela, contudo, não quis dar mais declarações.

Drogas
Apesar da aparente aceitação da família com a fatalidade, o caso será investigado pela Polícia Civil. Ontem, a ocorrência policial foi transferida do 14º DP para a Delegacia de Senador Canedo. O delegado Washington Luís da Conceição, titular do 14º DP, afiançou que as equipes não vão medir esforços para verificar o que de fato ocorreu durante o ritual.

Fernando Henrique começou a participar dos ritos espirituais em 2006. O coordenador da Instituição Xamãnica Céu da Fraternidade Universal, localizada em Goiânia, Marcelo Henrique Ribeiro Borges, diz que quando se ingressou na entidade Fernando Henrique, ainda adolescente, era dependente químico.

As reuniões, conforme disse, teriam sido benéficas ao garoto. “Ele conseguiu abandonar as drogas e tinha muita satisfação em participar dos encontros.” Nestes quase quatro anos, conforme disse, Fernando Henrique participou de ritos na capital, em outras cidades do interior e na matriz da instituição, em Pariquera Açu (SP). Em todas elas, conforme Marcelo Borges, o rapaz teria tomado a ayahauasca.

Marcelo Borges informou que o encontro espiritual no Céu de Krishna teve início às 21 horas de sábado. O evento era aberto e contou com a participação de 51 pessoas, além de 18 coordenadores.

Inicialmente foi feita uma palestra e, por volta das 2 horas de domingo, servido para cada visitante dois copos com a bebida, de 50 mililitros cada. Cerca de uma hora e meia depois, foi oferecido o terceiro cálice.

Fernando Henrique, segundo o coordenador, começou a passar mal por volta das 4h30. Ele reclamou de cansaço e fraqueza e respirava com dificuldade.

Cerca de uma hora depois, dormiu em um colchonete. Marcelo Borges disse que o jovem acordou por volta das 6h30, sem apresentar sinais. Meia hora depois, desfaleceu em seus braços. O rapaz foi levado para o pronto-socorro de Senador Canedo, onde foi constatada a morte.

Efeitos adversos da bebida

Camila Blumenschein

O biomédico toxicologista Romário Gonçalves Vaz explica que o chá do Santo Daime, a ayahuasca, pode provocar alteração do funcionamento da mente, causando alucinações e o desencadeamento de vômitos e diarreias. “O indivíduo fica desidratado, o que pode resultar em baixa da frequência cardíaca”, relata.

De acordo com Romário, como as substâncias contidas no chá agem no sistema nervoso central, a pessoa que o bebe pode ter crises de pânico e consequentemente aumento da frequência cardíaca, sensação de medo e perda de controle, ou desencadear quadros psicóticos em pessoas portadoras de doenças psiquiátricas como transtorno bipolar e esquizofrenia.

Não há um tratamento específico para quem sofre efeitos adversos ao tomar o chá. “O tratamento é sintomático, ou seja, se a pessoa teve um aumento da frequência cardíaca será tratada com um medicamento para esse sintoma e por aí vai”, afirma.