Matéria publicada em 06 de março de 2007, no Diário do Nordeste, Fortaleza, Ceará, em http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=410100

“Mestre da floresta

MILTON GONÇALVES viverá Mestre Irineu em ´Amazônia´ (Foto: Gustavo Stephan)

Criador da doutrina do Santo Daime, Raimundo Irineu Serra (1892/1971), um maranhense grandalhão, que chamava a atenção com seus quase dois metros, terá um ator à sua altura para interpretá-lo. Na segunda fase de ´Amazônia´ – que começa em 13 de março – Milton Gonçalves, dará vida a um dos personagens mais interessantes da história do Acre

Em seu apartamento, com uma vista privilegiada para a Praia do Flamengo, o ator, de 73 anos, empolga-se com o novo trabalho. E fala quase sem interrupção sobre Mestre Irineu, que ganhou a missão de fundar a religião da floresta, com lemas como dai-me amor, dai-me luz, daí o nome Santo Daime.

Quando soube que seria intérprete do líder religioso e político, Milton foi logo procurado por pessoas ligadas à doutrina. ´Eles me deram livros, músicas e me contaram coisas fantásticas. Para eles, Irineu foi a personificação de Jesus Cristo, pregando o amor e a fraternidade´, diz o ator.

No workshop realizado pela emissora para os atores, o jornalista acreano Armando Nogueira contou que Mestre Irineu, que mais tarde teve ligações com a política, causava impacto quando saía de sua colônia para ir à cidade: ´Além de ser enorme, ele tinha fama de feiticeiro´. Em cenas de flashback, Mestre Irineu será vivido pelo ator Maurício Gonçalves, filho de Milton.

O personagem

Analfabeto e de origem muito humilde, Mestre Irineu, como era chamado, deixou um hinário com mais de cem canções. A maioria foi dita no seu ouvido depois da aparição de Nossa Senhora da Conceição para ele. Isso aconteceu após ele tomar a ayahuasca´, explica Milton, referindo-se à bebida milenar, de origem inca, usada pelos indígenas da região em seus rituais.
Muitos artistas tornaram-se adeptos do Santo Daime no final da década de 80. Milton, que se define como um esotérico, diz que nunca teve curiosidade de provar a bebida (da infusão de duas plantas nativas da floresta amazônica).

Uma carreira de luta

Ator mais antigo em atividade na Rede Globo, onde está desde 1965, Milton considera-se ´um negro em movimento´, e não alguém que faz parte do movimento negro. ´O que mais quero na vida é eliminar a rubrica de ator negro. Fico profundamente irritado com isso´, diz ele, lembrando-se de seu passado.
´Aos 18 anos, fui barrado num clube, em São Paulo. Era carnaval. Provavelmente foi a maior humilhação que já passei na vida. Senti um ódio profundo. Fui a um bar beber cachaça para esquecer. Quis dinamitar aquele clube. Hoje, quando percebo alguma atitude racista, esse sentimento ainda aflora´.”

1 Comment

  1. Vinicius says:

    Esquenta não…o Milton foi barrado porque era preto e pobre. Hoje ele não é mais barrado. Eu sou, barradão em muitos e muitos lugares: minha carteira não é recheada! O branco barrado! Inverti isso faz tempo: barrei os ricos por onde ando. Riqueza mesmo é ser amigo de umas pessoas. Né não, Bia?