Notícia publicada na Folha de São Paulo de hoje:

“Vidas Opostas”, a novela da Record que vem chamando a atenção por sua abordagem realista da violência, vai atacar um tema tabu na teledramaturgia. Irá discutir a legalização do comércio de drogas como uma saída para reduzir o crime. No capítulo que vai ao ar no dia 24, líderes comunitários do morro do Torto (o fictício local que sintetiza os morros do Rio) aparecerão travando um diálogo em que defenderão a venda de drogas em farmácias, o que, acreditam eles, acabaria com as bocas-de-fumo e com os traficantes que tanto atormentam os moradores dos morros. Mas, o autor de “Vidas Opostas”, Marcílio Moraes, pretende ir mais longe. Uma das idéias é a TV Atlantis, a fictícia emissora da trama, promover um debate com defensores de diversos pontos de vista. “Eu quero abrir essa discussão. Ainda procuro a melhor forma de fazer isso com habilidade para o papo não ficar chato, cheio de discursos”, afirma Moraes, que já abordou em “Vidas Opostas” temas como a corrupção policial e, nesta semana, começa a tratar de milícias. “Sou a favor da liberação da venda de drogas em farmácias. Acredito que a proibição causa mais males do que a liberação”, afirma Moraes, para quem um avanço já seria a descriminalização do uso de drogas. Isso evitaria que jovens de classe média sejam submetidos à corrupção policial — a origem de tudo, na visão de Moraes.

Comments are closed.