MIKOSZ, José Eliézer. Arte e Ayahuasca: Imagens e Simbologia das Espirais. Tese de Doutorado em Ciências Humanas, Área Condição Humana na Modernidade, Linha de Pesquisa em Arte: Imaginário & Simbólico do PPGICH (Programa de Pós-Graduação Interdisciplinas em Ciências Humanas) da UFSC.

A pesquisa iniciou em 2005,e a qualificação foi realizada em 30 de Março de 2007.

Resumo:
O presente estudo visa investigar as representações das espirais – e imagens a ela relacionadas como vórtices, fractais, túneis, círculos, mandalas, labirintos e serpentes – como é expressa nas artes visuais, analisando-se seu significado e simbologia. A análise simbólica se faz através de referências teóricas de participantes do Círculo de Eranos tais como ERICH NEUMANN, GILBERT DURAND, JOSEPH CAMPBELL, MIRCEA ELIADE e CARL GUSTAV JUNG.
As imagens supracitadas, como veremos, costumam aparecer em experiências de pessoas em estados não ordinários de consciência (ENOC), sejam através do uso de psicoativos, diversas práticas de êxtase místico-religiosas ou mesmo em alguns casos de distúrbios psicológicos. Devido a isso, optou-se recortar o tema enfocando a presença dessas imagens nas pinturas produzidas por artistas sob a inspiração da Ayahuasca.
Sendo a Ayahuasca um psicoativo, e dando ênfase à interdisciplinaridade da pesquisa, a tese se referencia nesse quesito – estados não ordinários de consciência – sob o prisma de autores/pesquisadores do assunto como DAVID LEWIS WILLIAMS, BENNY SHANON, RALPH METZNER, RICK STRASSMANN, JEREMY NARBY entre outros.

Algumas das fontes de imagens são: Pablo Amaringo, Alexandre Segrégio, Alex Grey , Andrew Gonzales, Rick Harlow e fontes do Erowid Art Vaults e do Visionary Revue.

Para entrar em contato com José Eliézer: jem@jem.com.br

Comments are closed.