O antropólogo Sérgio Brissac, ex-padre jesuíta, escreveu a primeira e única dissertação de antropologia sobre a União do Vegetal, ou UDV. Atualmente reside em Fortaleza, onde trabalha no Ministério Público, auxiliando pleitos de diversas etnias indígenas do estado do Ceará. Desenvolve, também, uma tese de doutorado no Museu Nacional/UFRJ sobre a relação dos índios mexicanos mazateca, consumidores tradicionais dos cogumelos piscoativos — honguitos ou niños santos — com o cristianismo. Conheça Sérgio, a vista do seu apartamento em Fortaleza, e algumas referências bibliográficas de seus trabalhos.


Referências:

Brissac, Sérgio Góes Telles. A Estrela do Norte iluminando até o Sul. Uma etnografia da União do Vegetal em um contexto urbano. Mestrado em Antropologia Social. Museu Nacional/UFRJ. 1999.

Brissac, Sérgio Goés Telles. Alcançar o Alto das Cordilheiras: A vivência mística de discípulos urbanos da União do Vegetal. IX Jornadas sobre Alternativas Religiosas na América Latina. Seminário Temático nº 5: Mística, transe e possessão: olhares sociológicos. Rio de Janeiro. 1999.

Brissac, Sérgio Goés Telles. José Gabriel da Costa: trajetória de um brasileiro, mestre e autor da União do Vegetal. Papers do I Simpósio da Associação Brasileira de História das Religiões. Assis. 1999.

Brissac, Sérgio Goés Telles. Constituição Histórica da União do Vegetal. Anais do III Encontro de Pesquisa dos Estudantes de História. Campinas. 1999.
Brissac, Sérgio Goés Telles. José Gabriel da Costa: Trajetória de um Brasileiro, Mestre e Autor da União do Vegetal, in: Labate, Beatriz Caiuby; Araújo, Wladimyr Sena (orgs.). O uso ritual da ayahuasca. 2ª ed. Campinas, Mercado de Letras. 2004. pp. 571-587.

A sua dissertação permanece, infelizmente não publicada.

Para entrar em contato com Sérgio: sergiobrissac@gmail.com

1 Comment

  1. Chris says:

    Adorei a reportagem !
    Sou prima do Sergio.
    Gde abraço…
    Chris