Publicado em Planeta Bizzaro, Globo.com em 28/11/2008, aqui.

Tijolo’ de erva estava em túmulo de sacerdote na China.
Com cerca de 2.700 anos, maconha ainda manteve princípio ativo.

Do G1, em São Paulo

Um grupo de cientistas afirma ter encontrado em uma tumba na China o estoque de maconha mais antigo do mundo. O “tijolo” de 789 gramas de Cannabis sativa desidratada tem cerca de 2.700 anos e foi cultivado “para uso psicoativo”, de acordo com pesquisa publicada no “Journal of Experimental Botany”, da universidade britânica de Oxford.

Segundo os pesquisadores, a erva foi enterrada ao lado do corpo de um homem caucasiano, possivelmente um sacerdote da chamada cultura Gushi, que habitou a região noroeste da China.

Graças ao clima árido e solo alcalino, a maconha foi preservada. Após análise cuidadosa, os cientistas concluíram que mesmo após quase três milênios, a erva preservou seu princípio ativo.

“Até onde sabemos, essa é a amostra mais antiga que mostra a utilização de cannabis como droga”, afirma o neurologista Ethan Russo, um dos autores do estudo.

Os pesquisadores não conseguiram determinar se, à época, a droga era fumada ou ingerida, já que não foram encontrados cachimbos ou outras evidências no túmulo do xamã, que teria morrido com cerca de 45 anos.

“Era comum enterrar as pessoas com objetos e mantimentos que poderiam ser utilizados na vida após a morte”, explica Russo.

Comments are closed.