PRÊMIO CULTURAS INDÍGENAS 2006
de 16 a 19 de agosto de 2007
SESC VILA MARIANA – SÃO PAULO

Resultado do Prêmio Culturas Indígenas 2006 – Edição Ângelo Cretã, lançado no ano passado pelo Ministério da Cultura, o SESC SP e a Associação Guarani Tenonde Porã promovem o encontro de cerca de 150 lideranças indígenas de todas as regiões do Brasil, incluindo 82 representantes das iniciativas selecionadas pelo Prêmio.

A parceria entre o SESC SP e o Prêmio Culturas Indígenas dá seqüência a uma série de ações desenvolvidas pela entidade na valorização e revitalização das culturas indígenas, numa mostra cultural com atividades de intercâmbio entre as comunidades indígenas por meio de rodas de histórias, debates, música e oficinas de artesanato.

Na ocasião será lança a publicação o lançamento da Publicação Prêmio Culturas Indígenas 2006 – Edição Ângelo Cretã, que retrata, em mais de 300 páginas, as 467 iniciativas inscritas, relatadas através de textos, fotos, mapas e quadros estatísticos.

Dia 15/08, quarta

20h30 às 22h
Cerimônia de Premiação e Lançamento da Publicação do Prêmio Culturas Indígenas 2006 – Edição Ângelo Cretã
Teatro (necessário a apresentação do convite)

Dia 16/08, quinta

14h30 às 15h30
Roda de História Pataxó
Povo: Pataxó (MG)
Contação das histórias tradicionais desse povo como “Origem do povo Pataxó” e “o machado, a abelha e o rio” (sobre a origem das plantas) e a “Hamãy, a protetora dos animais”
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

14h30 às 16h30
Roda de debate: Terras Indígenas
Povos: Xukuru (PE) e Kaingang (PR, SC e RS)
Serão discutidos temas como preservação dos direitos e dos territórios dos povos indígenas, demarcação de terras e situação de comunidades em áreas urbanas. A roda será coordenada pelas lideranças representantes do povo Kaingang e do povo Xukuru, respectivamente homenageados nas edições 2006 e 2007 do Prêmio Culturas Indígenas, enfocando a história de Ângelo Cretã e Xicão Xukuru, que deram a vida por esta luta.
Sala 1, 5o andar – Torre A

17h às 18h
Intercâmbio Cultural: Leitura encenada do texto Mandaru no Reino de Ororubá
Povo Xukuru (PE)
Apresentada em uma roda de histórias, a ação intercala cenas da ficção e da realidade do movimento de etnogênese e ressurgência étnica entre os povos indígenas no Nordeste do Brasil e depoimentos de lideranças do movimento indígenas nesta região. O grupo é composto de vinte jovens das aldeias Cimbres, Cajueira, Pé de Serra e Pão de Açúcar. Município de Pesqueira/PE
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

18h às 20h
Roda de Debate: Registros da Cultura
Povos: Pankararé (BA), Yawalapiti (MT), Pankará (PE), Guarani Mbya (RS), Karitiana (RO) e Macuxi (RR)
Discussão sobre o registro da cultura indígena por meio de recursos audiovisuais e textos escritos, sobre museus e espaços destinados à documentação e como essas novas realidades são assimiladas pelas comunidades.
Sala 1, 5o andar – Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

18h às 20h
Roda de debate: Medicina Tradicional
Povos: Yawanawá (AC), Wassu Cocal (AL), Baniwa (AM), Xacriabá (MG), Irantxe (MT), Jupaú (RO), Kaingang (RS e SC) e Guarani (SP)
Discussão sobre a manutenção e a revitalização das práticas de cura tradicionais indígenas, e o valor desse conhecimento ancestral vinculado à espiritualidade e à relação com a natureza. A influência e a interferência da medicina dos não índios e o debate sobre os direitos dos povos indígenas sobre os seus conhecimentos tradicionais. (o que está em vermelho é o foco principal da discussão)
Sala 2, 5o andar – Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

Dia 17/08, sexta

14h30 às 15h30
Roda de Histórias Tapiraré ( MT)
Contação das histórias tradicionais desse povo como “Gavião Real” e a “História da origem do povo Tapiraré”
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

14h30 às 16h30
Roda de debate: Artesanato Indígena
Povos: Tremembé (CE), Terena (MS), Guarani Kaiowá (MS), Kaiabi (MT), Umutina (MT), Kambiwá (PE), Xokleng (SC), povos do Rio Negro (AM), povos
do Oiapoque (AP).
Discussão sobre o lugar do artesanato e do processo de produção artesanal nas tradições culturais e as mudanças decorrentes de sua transformação em mercadoria voltada para mercados externos às comunidades indígenas, e a relação entre artesanato e arte indígena.
Sala1, 5o andar, Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

14h30 às 16h30
Roda de debate: Religiões Indígenas
Povos: Yawanawá (AC), Yanomami (AM), Tapeba (CE), Nambikwara (MT), Kaiabi (MT), Bakairi (MT), Yudja (MT), Tembé Tenetehara (PA), Guarani Mbya (RJ) e Paiter Suruí (RO).
Discussão sobre a manutenção e o fortalecimento das religiões indígenas, apresentando as diferentes visões de mundo de cada povo e a relação com o processo de constituição de suas identidades.
Sala 2, 5o andar, Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

17h às 18h
Intercâmbio Cultural: Apresentação do Povo Terena (SP)
Dança do Bate-pau e Dança da Chuva
Na cultura Terena significa dança do Kipaé ( Dança da ema), apresentada por dois grupos que dançam ao som do tambor e da flauta tradicional feita de madeira. Esta dança é apresentada desde os seus antepassados, devido à conflitos que existiam nas aldeias, em defesa das suas terras que eram constantemente invadidas. Quando havia vitórias os terenas dançavam em comemoração.
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

18h às 20h
Roda de debate: Transmissão de conhecimento, oralidade e educação indígena
Povos: Xucuru-Kariri (AL), Pataxó Hã-hã-hãe (BA), Guarani Mbya (ES), Pataxó (MG), Caxixó (MG), Tapirapé (MT), Kurã-Bakairi (MT), Tembé Tenetehara (PA), Potiguara (PB) e Guarani Nhandeva (PR).
Discussão sobre as formas tradicionais indígenas de transmissão de conhecimento e as conseqüências da relação entre essas e a educação formal diferenciada. Também poderá ser discutida a influência da educação escolar não indígena na formação da identidade dos jovens indígenas.
Sala 1, 5o andar – Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

18h às 20h
Roda de debate: Músicas, Cantos e Danças Indígenas
Povos: Kaxinawá (AC), Satere Mawê (AM), Ticuna (AM), Pitaguary (CE), Krikati (MA), Kamaiurá (MT), Bóe-Bororo (MT), Kuikuro (MT), Potiguara (PB) e Macuxi (RR).
Discussão sobre os cantos e as danças indígenas, sua relação com os rituais e as práticas religiosas e também como se dá o processo de “espetacularização” destas expressões culturais quando essas apresentações são realizadas fora das comunidades.

Sala 2, 5o andar – Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

Dia 18/08, sábado

10h às 12h
Roda de debate: Modos Indígenas de Relação com a Natureza
Povos: Karapotó(AL), povos do Rio Negro (AM), Arara do Rio Branco (MT),
Xavante (MT), Paresí (MT), Kaingang (PR), Guarani Mbya (SP) e Krahô (TO).
Sala 3, 6o andar, Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

10h às 12h
Roda de debate: Línguas Indígenas
Povos: Kaxinawá (AC), Tuyuka (AM), Tariana (AM), Mebêngôkre Metyktire (MT), Potiguara (PB), Fulni-ô (PE), Xukuru do Ororubá (PE) e Guarani Mbya (RJ)
Sala 4, 6o andar, Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

12h às 13h
Roda de Histórias Fulni-ô (PE)
Contação das histórias tradicionais desse povo como “A invasão do homem branco”, “o coronel sem divisa”, e “o Índio da imagem do rio”, entre outras curiosidades acerca da cultura Fulni-ô
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

13h30 às 15h30
Oficina de Artesanato
Povos: Kambiwá (PE), Kaingang (RS) e Xukuru (AL)
Confecção de bijuterias feitas de sementes, chaveiros em madeira e vasinhos de cipó.
Sala 3, 6o andar, Torre A
Grátis. 20 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

15h30 às 16h
Banda Wiwirutcha (Povo Tikuna – AM)
A banda surgiu em agosto de 2001 para resgatar as músicas tradicionais do povo Ticuna, desenvolvendo e fortalecendo o conhecimento dos antepassados como músicas, piadas, histórias, costumes, tradições e modo de viver. Eles mostram a importância das crianças cantarem as músicas em língua ticuna e em português.
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

Dia 19/08, domingo

12h às 12h30
Toré do Povo Pankararu (SP)
Os ritos denominados Toré são praticados por diversos grupos indígenas no Nordeste. Na apresentação, dançam o Toré de caráter mais lúdico e político.
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

12h30 às 13h30
Roda de Histórias Guarani (SC,SP) e Suruí (RO)
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

14h às 16h
Oficina de Artesanato
Povos: Guarani Mbya (ES), Umutina (MT) e Tapeba (CE)
Trabalho feito com bucha vegetal e confecção de bijuterias de sementes e fibras naturais.
Sala 3, 6o andar – Torre A
Grátis. 50 vagas. Retirada de senhas com 1h de antecedência.

15h30 às 16h
Coral Guarani e Dança do Xondaro (SP)
Povo: Guarani – SP
A música guarani possui uma tradição milenar e integra sua concepção religiosa do mundo. Através do canto e da palavra o povo Guarani se comunica com os Deuses.
O Xondaro é uma arte marcial do povo Guarani em que eles buscam o equilíbrio físico e espiritual. É uma dança praticada em roda, coordenada por um mestre, e praticada pelos Guarani desde a primeira infância.
Praça de Eventos (capacidade: 300 pessoas)
Grátis

2 Comments

  1. hãhã says:

    Mother don’t go!
    Dad, go home!

  2. Anonymous says:

    INXS

    In the dark of night
    Those small hours
    Uncertain and anxious
    I need to call you

    Rooms full of strangers
    Some call me friend
    But I wish you were so close to me

    In the dark of night
    Those small hours
    I drift away
    When I’m with you

    In the dark of night
    By my side,
    In the dark of night
    By my side,
    I wish you were
    I wish you were

    Here comes the clown
    His face is a wall
    No window
    No air at all

    In the dark of night
    Those faces they haunt me
    But I wish you were
    So close to me

    In the dark of night

    By my side
    In the dark of night
    by my syde
    I wish you were
    I wish you were

    In the dark of night

    By my side
    in the dark of night
    By my side
    I wish you were
    I wish you were

    In the dark of night
    Those faces they haunt me
    I wish you were so close to me

    Yes I wish you were
    By my side