No dia 6 de outubro, o Alto das Estrelas postou uma mensagem de divulgação de uma cerimônia Kaxinawá com a ayahuasca em São Paulo (http://alto-das-estrelas.blogspot.com/2005/10/ritual-de-nishy-pay-em-so-paulo.html).

O jornalista acreano Altino Machado (altinoma@uol.com.br), do Alto Santo, fez uma dura crítica à relização da cerimônia, acompanhado pelo líder indígena Joaquim Tashka Yawanawá (tashka@uol.com.br). Leia em: http://altino.blogspot.com/2005/10/nishi-pay-d-grana.html

Fabiano Kaxinawá (kaxinawabane@bol.com.br), um dos responsáveis pelo rito, deu a sua resposta em: http://altino.blogspot.com/2005/10/fabiano-kaxinaw.html

Yoshihiro Odo (yoshiodo@terra.com.br), um dos organizadores do evento, postou uma “carta de esclarecimento para Altino Machado” embaixo da mensagem de Fabiano.

5 Comments

  1. Anonymous says:

    Literary prize celebrates new blog generation
    Posted: 11 October 2005 By: Jemima Kiss Email: jemima@journalism.co.uk The world’s first annual literary prize for webloggers launched today, designed specifically for books based on blogs.
    Find out how to buy and sell anything, like things related to private road construction on interest free credit and pay back whenever you want! Exchange FREE ads on any topic, like private road construction!

  2. Anonymous says:

    Model-View-Controller in Web 2.0
    In such an architecture, data is held in a data model that represents the relationships between all the different parts of information.
    Hello, you have a great blog here! I’m definitely going to bookmark you.

    I have a currency trading site/blog.
    Full of currency trading stuff.

    Come and check it out, er, please :-)

  3. Fabiano Kaxinawa says:

    (Resposta do Fabiano Kaxinawá ao Altino e Joaquim Tashka)
    Permitam – me.
    Só para fica claro.
    Meus queridos amigos e irmãos.
    Sou Fabiana kaxinawa filho do Cacique SIÃ kaxinawa e neto lider Sueiro
    kaxinawa, que descansa em seu lugar onde o destino lhe reservou.
    Àqueles que me conhece como eu sou, e àqueles que me conhece como falam de
    mim.
    Sou um jovem que estou lutando pelo meu povo Huni kuin.
    Respeitosamente venho a esta cidade do nosso Brasil aprender novos
    conhecimentos.
    Para poder valoriza a nossa tradição do meu povo.
    E mostrar a verdadeira cultura do Brasil.
    Eu fico feliz em ver outros povos mostrando e valorizando as suas tradições.
    Eu não sou o sábio das coisas,
    A sabedoria que eu tenho são do meu povo Huni kuin.
    Sinto me honrado para poder compartilhar esta bebida sagrado do meu povo
    Com outros irmãos e irmãs.
    Todos nós temos os nossos valores na vida. Por isso,
    Respeito as pessoas e defendo a vida e dignidade, com esperança de
    encontrar a razão.
    Que somos brasileiros.
    Que os espíritos abram a mente dos homens e mulheres.
    Que nos tratam com indiferença ou inferiores porque diferente é cada um de
    nós.
    Desejo a todos nós que possamos caminhar assim ao lado uns dos outros fazendo acontecer.
    Muita luz àqueles que me conhecem e também aqueles não me conhecem
    Força para meu amigo Altino.
    Respeitosamente ao meu guereiro Taska yawanawa
    Que os deuses transmitam ao coração de cada um a revolução da amizade
    construindo a paz
    Sejamos simplesmente gente .{Fabiano kaxinawa}
    Desculpe por não escrever muito bem.

    Obrigado

  4. Yoshiodo@terra.com.br says:

    (Carta de esclarecimento sobre o Nishi pay em Sampa)
    Caro Altino Machado.
    (…)
    Fiquei sabendo da sua opinião a respeito do evento com Nishi pay que estamos organizando em São Paulo, mas lamento o seu posicionamento e divulgação precoce, e por isso mesmo injusto para com este evento e para com os irmãos Kaxinawá. Deixe-me explicar:
    UM POUCO DA HISTÓRIA:
    Vimos realizando rituais mensais, desde julho de 2003, sob o comando do Leopardo Kaxinawá(…)
    Leopardo Kaxinawá nestes dois anos conseguiu abrir as portas desta cidade paulistana, favorecer a divulgação da cultura Kaxinawá, organizou o Nishi-pay com a participação do seu pai Siã Kaxinawá e sob o comando do Pajé Agostinho Manduca Muru, participou da organização de Ritos de passagem na qualidade de diretor da IDETI, com a presença e participação de diversas tribos de todo o Brasil (…).
    Este mês, o trabalho ritual ficou por conta dos irmãos Fabiano e Banê. Esperamos poder receber a visita nos próximos meses de mais representantes Huni-kuin a divulgarem a sua cultura ancestral aqui em São Paulo.
    SOBRE O CUSTO DO EVENTO E PREÇO.
    (…) O preço cobrado é o mínimo para cobrir as despesas. Nós que ajudamos a organizar o evento temos vontade, sim, de que toda a cultura e tradição indígena seja realmente valorizada. E que isso venha a refletir inclusive na valorização econômica dos seus conhecimentos. (…)
    SOBRE A ONDA NEO-XAMNICA.
    A maioria dos participantes deste Encontro vêm à procura de ter contato com o uso original da ayahuasca, fora do contexto urbano e cristão, relacionado ao conhecimento tradicional do índio e da floresta. Os irmãos Yawabanê, mesmo tão jovens, conseguem ensinar e conduzir o encontro com o Nishi-pay transmitido na sua memória ancestral, através dos seus cantos sagrados na sua lingua tradicional. O trabalho deles prepara a visita futura dos pajés e valoriza o conhecimento do seu povo e dos demais povos sobreviventes e ancestrais do Acre. Na cidade grande aonde a onda neo-xamânica vem favorecendo a confusão no consumo do Ayahusca, o trabalho dos Kaxinawá se destaca pelo simples e revelador. Tem uma verdade inegável daqueles que são filhos da jibóia branca. Traz o conhecimento e respeito à floresta. Permite-nos uma re-descoberta de que a verdadeira alma do Brasil, alma com mais de 30 mil anos de história está, sim, depositada nestes sobreviventes do massacre promovido pela invasão ocidental. Por isso a sua colocação de que os “meninos fazem o meio de vida no meio da onda neo-xamânica” é profundamente injusta. Não há ninguém trabalhando em proveito pessoal. O tempo e a planta sagrada deverão mostrar isto a todos que estão atuando com sinceridade.
    SOBRE A INSINUAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL.
    Não há qualquer preconceito contra esta ou aquela profissão, uma ou outra religião e nem contra imigrantes e estrangeiros. Participaram até agora do Encontro com Nishi pay, policiais, advogados, estudantes, professores, (…) Assim como budistas, católicos, judeus, shintoístas, japoneses, alemães, italianos, negros, xavantes, guaranis… O Ritual é livre e legal. Não há medo nem perseguições.
    SOBRE A AUTORIA DO CONVITE.
    O convite e o material de divulgação é oficial dos irmãos Leopardo e Fabiano Kaxinawá. E este trabalho vem sendo realizado com a autorização dos líderes da sua Aldeia. A Cecília é apenas a organizadora da divulgação e inscrição, sempre sob a orientação dos Kaxinawá.

    A sua injusta colocação, creio, devido a falta das informações acima, está resultando em visões e opiniões distorcidas sobre o trabalho desenvolvido pelos Kaxinawá em São Paulo. E até mesmo numa colocação equivocada, mas claro, como um aviso amigo, do Joaquim Tashka Yawanawá. O equívoco entre os Kaxinawá e Yawanawá se desfaz no seu Encontro direto. Mas o equívoco da opinião dos seus leitores… Espero estar esclarecendo e contribuindo para desfazê-lo.
    (…)

    Yoshihiro Odo

  5. dxportfolio says:

    Hey how are you doing? just letting you know that someone from Central America read your blog!
    This is my site:
    dxportfolio
    Regards,
    Charles