A Revista Veja afirmou em sua reportagem sobre a morte de Glauco que  ”A Associação Brasileira de Psiquiatria também já se manifestou contra a liberação do chá, sob o argumento de que não existem estudos suficientes para descrever em profundidade a ação no cérebro da DMT presente na beberagem.”.

Consultei a ABP e eis a resposta oficial da acessoria de imprensa em e-mail de hoje: “A Associação Brasileira de Psiquiatria esclarece que não fez qualquer manifestação contrária à liberação do chá à base de ayahuasca. A ABP mantém em seu site um parecer técnico sobre as implicações do uso da planta, sob o ponto de vista médico, em que conclui que não existe uso seguro da substância, dados os poucos estudos sobre o tema, com amostras não significativas. Não cabe à associação, porém, manifestar-se a favor ou contra sua liberação.”

Leia o texto “Comentários sobre o parecer da ABP e da ABEAD sobre a ayahuasca”, por Rafael Guimarães dos Santos aqui.

Comments are closed.