Sérpico, Rosana Lucas; Camurça, Denizar Missawa. Ayahuasca: Revisão teórica e considerações botânicas sobre as espécies Banisteriopsis caapi Morton, 1931 e Psychotria viridis Ruíz & Pavón, 1779. São Paulo, 2006. 40p. Monografia, Ciências Biológicas . UnG, 2006.

Resumo:

A ayahuasca é uma bebida preparada a partir da cocção de duas espécies vegetais nativas da floresta amazônica: o cipó Banisteriopsis caapi Morton (Malpighiaceae), que possui derivados beta-carbolínicos: harmina, harmalina e tetrahidroharmina; e as folhas do arbusto Psychotria viridis Ruíz & Pavón (Rubiaceae), contendo um derivado triptamínico, a N,N-dimetiltriptamina (DMT). Pode haver, ainda, eventualmente, a utilização de várias outras plantas na preparação da bebida. A ayahuasca é utilizada em rituais por vários grupos indígenas da Bacia Amazônica. O contato das populações não-indígenas com esses povos no Brasil resultou no aparecimento de religiões que fazem uso do chá em seus rituais, conhecidas também como “religiões ayahuasqueiras brasileiras”: o Santo Daime, a União do Vegetal e a Barquinha. Tais práticas religiosas foram regulamentadas através da resolução nº 4 do Conselho Nacional Anti-Drogas (ligado a SENAD – Secretaria Nacional Anti-Drogas), de 4 de Novembro de 2004. O Santo Daime e a UDV possuem adeptos em vários estados brasileiros e no exterior. Devido a crescente expansão desses grupos e do consumo da bebida, se faz necessário o desenvolvimento de métodos de cultivo das espécies utilizadas na sua preparação fora da região amazônica, onde atualmente ocorre um alto índice de extrativismo. Este trabalho realizou uma revisão na literatura especializada, indicando que há uma escassez de estudos botânicos específicos sobre as espécies Banisteriopsis caapi e Psychotria viridis. Esses conhecimentos são de extrema importância para elaboração de técnicas de cultivo eficazes fora da região norte, buscando diminuir esse extrativismo, que já se tornou quase predatório. Também serão fornecidos, nesta pesquisa, dados sobre a origem e utilização da ayahuasca, e sobre as pesquisas médicas e farmacológicas já realizadas.

Para entrar em contato com Rosana: rosana@renarg.org

Para entrar em contato com Denizar: missawa@renarg.org

Clique aqui para ler.

Comments are closed.