Título: “Medicalização e criminalização do uso do álcool em Fortaleza (1916-1930)”

Autor: Raul Max Lucas da Costa

Clique aqui para ler o texto ou entre no site do NEIP e vá em “textos” e “textos afins”.

Resumo:
“Este escrito discute a medicalização e a criminalização do uso do álcool, tendo como foco de observação a cidade de Fortaleza no período de 1916 a 1930. Nossa problemática interroga acerca das causas da intensificação das campanhas médicas e da repressão policial na década de 20 em torno do consumo alcóolico. Constatamos que as campanhas profiláticas seguiam as orientações eugenistas da Liga Brasileira de Higiene Mental – LBHM e que as prisões por embriaguez visavam à manutenção da ordem pública. Ao mesmo tempo, médicos e autoridades policiais conclamavam uma intervenção estatal através de medidas proibicionistas aos moldes da Lei Seca norte-americana. Concluímos que as estratégias de controle do uso do álcool consistiam em tentativas de disciplinar a população que tiveram como conseqüência direta a patologização e a marginalização do consumo alcoólico no espaço urbano.”

Para entrar em contato com o autor: raulmaxpsi@yahoo.com.br

1 Comment

  1. Anonymous says:

    O que torna este texto bastante interessante é o período em que se ambienta e a maneira como foi escrito demonstra muita segurança e muita maturidade. O que mechama a atenção é o fato deste estudo ter usado de elementos psicológicos tendo sido bastante inovador.