1 Comment

  1. ayahuasqueiro says:

    A centralidade pertence as plantas, não? Dificilmente os adeptos se manteriam fiéis aos ensinos do Mestre Irineu ou P. Sebastião sem o “mistério” conferido pela ingestão da ayahuasca.
    Na minha opinião, as religiões ayahuasqueiras só se tornam mais “densas” enquanto fardo moralizante ou moralizador quando dirigentes (ex-tantas_coisas) se levam excessivamente à sério. Perdem a graça e a leveza. Mas normalmente essas pessoas sabem como equilibrar-se entre os extremos da anarquia e do “zelo” excessivo.
    Aí, contemplar os muitos véus da Santa Maria (efeitos e mirações do chá e não necessariamente da erva)se torna um deleite traduzido por alguns como sendo “A Realidade”. Acho divertido beber ayahuasca. Advertido, porém, que não é brincadeira. Os efeitos da ingestão não permitem usos recreativos.