By Henrique Carneiro. Click here to see.

5 Comments

  1. Vinicius says:

    Admirável mundo que desconheceríamos em sua clareza objetiva, e do qual suspeito que jaz, protegido pelos preconceitos, estreitismos e condicionamentos diversos, para a maioria dos assim chamados ayahuasqueiros (neo ou old).

    Incrível as informações sobre os grupos de língua Pano, por ex, onde facilmente atribuí-se à ingenuidade dos índios o medo de certos alimentos ou das mulheres em certas luas, antes do consumo do kamarampi.

    Nove anos se passaram, desde meu primeiro contato com a “toma” do yagé. Nunca pensara no quanto é rico, pra muito além de minhas pobres especulações, o mundo de Ayahuasca.

    Ao Wlad e a Bia só tenho de manter-me aberto, gratidão profunda a pessoas vocacionadas (ela desde muito cedo, percebe-se), que selecionaram trabalhos tão instigantes e inspiradores para nós outros, que queremos ser doutor na matéria e desconhecemos o beabá.

    Grato mesmo, por tudo. E que estes trabalhos possam um dia ser vertidos para o inglês. Os de fora às vezes valorizam bem mais os nossos tesouros do que nós mesmos. Mas para mim, a prata da casa é uma mina de ouro.

  2. karimbolando tubarão says:

    Sim. E alguns textos parecem atrair toda a nossa atenção, enquanto que outros causam rejeição. Estudantes devem estar acima de polaridades. Polaridade é para quem se deixa polarizar.
    Daqui a cem anos, estes textos estarão ainda sendo apreciados. Bia e Wladimir, no céu. E eu, hehe, no inferno, esquentando os tamborins.
    O lance é que tem escadas e escadas, degraus e degrauss, e o que é céu para uns é inferno para outros e vice versa e versa visse.

  3. harpocrates says:

    Eu vi touros de asas de ouro
    Eu vi torres, templos de ouro
    Starella, deusa da noite e do luar

  4. touradas_di_Madrid says:

    Embaixada da Espanha pode ajudar paraíba a recuperar Palácio da Justiça!
    Que coisa boa! Essas parcerias culturais dão muito bons resultados. O Sr. Embaixador parece aqueles marechais das antigas.
    http://www.tj.pb.gov.br

  5. zulmira paes says:

    Pense numa arquitetura bonita!